Renegociação de dívidas o que é, como escolher a melhor opção?

A necessidade de renegociação de dívidas é uma situação complexa que todo e qualquer negócio está sujeito. Mesmo sendo um cenário desprezado, em que empresários e lideranças organizacionais buscam evitar ao máximo, a saúde financeira das empresas nem sempre consegue se manter no “azul”.

Para empresas que já possuem algum encargo fora de controle ou que podem vir a precisar dessas orientações, aqui estão os principais passos para renegociar as dívidas do seu negócio com inteligência:

  1. saiba o valor real da sua dívida;
  2. analise o momento financeiro da empresa;
  3. entenda as condições da renegociação de dívidas;
  4. não aceite qualquer proposta;
  5. seja cuidadoso para não fazer novas dívidas.

A organização financeira é um pilar de sustentação indispensável para empresas que visam controlar essas possíveis instabilidades. Por isso, aprender como funciona o fluxo pecuniário do negócio, as condições do mercado e quais estratégias adotar em situações específicas devem ser prioridades. 

Se você quiser saber mais sobre a implementação de um planejamento financeiro, recomendamos a leitura deste material aqui

E para entender melhor os passos para conquistar uma renegociação de dívidas eficiente, acompanhe o post e aprenda a organizar as contas da sua empresa.

O que é uma renegociação de dívidas?

Controlar os ativos e passivos da empresa é, sem dúvida, medida essencial para apoiar suas diversas atividades, fases de crescimento ou oscilações, projetar estratégias de evolução, investir de maneira sustentável e assim por diante.

A falta dessa organização econômica pode intensificar as chances da empresa precisar de empréstimos ou equivalentes e, consequentemente, criar dívidas com altas taxas de juros. Em outras palavras, se não for bem planejado, pode se tornar uma dívida ainda maior.

A renegociação de dívidas é uma espécie de oferta oferecida pelas instituições financeiras, principalmente em épocas de crise, com taxas de juros mais acessíveis, para ajudar pessoas físicas ou jurídicas inadimplentes a quitarem suas dívidas mais rapidamente.  

É uma estratégia financeira que pode trazer soluções interessantes, mas que, ainda assim, exige cautela e organização. É essencial que você esteja a par da real situação do seu negócio e garanta que essa nova proposta esteja de acordo.

O descumprimento da nova oferta pode comprometer ainda mais o estado financeiro da sua empresa, por isso a tomada de decisão deve considerar dados e métricas reais. Para te ajudar nessa missão, vamos abordar mais adiante alguns passos importantes. 

Quais as melhores opções de renegociação de dívidas?

Como vimos até agora, a renegociação de dívidas é uma alternativa interessante oferecida por instituições financeiras para que o devedor consiga fazer uma quitação mais tranquila.

Antes de mais nada, é preciso entender que existem algumas maneiras de renegociar o pagamento de um débito.  O procedimento pode ser feito diretamente com a organização, em feirões populares para limpar o nome sujo, pela portabilidade de uma instituição para outra e assim por diante. 

Diante das opções disponíveis, como escolher a melhor solução?

Independentemente da maneira, o mais importante para assegurar uma negociação interessante é entender o cenário que a sua empresa se encontra. E só assim, analisar as ofertas oferecidas pelo mercado.

O caminho mais seguro é começar pelo planejamento financeiro e conhecer as condições que a sua empresa tem de honrar cada compromisso. A renegociação de dívidas ganha eficiência e agilidade se estiver de acordo com essa condição.

O que a empresa deve considerar ao tomar essa decisão?

Agora que você já entende a renegociação de dívidas, vamos para um guia rápido de como tornar essa escolha mais simples. Confira a seguir um passo a passo para renegociar débitos com inteligência financeira.

1. Saiba o valor real da sua dívida

O primeiro passo é saber o tamanho do problema. Por isso, calcule o saldo devedor, as taxas de juros e todos os encargos envolvidos. Ter o valor em mente ajudará na apresentação de uma proposta de quitação junto à instituição credora.

Uma dica facilitadora é listar todas as pendências monetárias. Ou seja, busque e liste os extratos de todos os cartões de crédito, boletos, empréstimos, financiamentos e equivalentes. Tenha todas os valores destrinchados.

2. Analise o momento financeiro da empresa

Feito o cálculo, é preciso acionar a equipe financeira, contábil, administrativa, fornecedores e as lideranças para analisar o cenário econômico da organização

Em uma conversa franca, pontue o impacto desse reserva no orçamento geral, o valor mensal direcionado para a quitação, o tempo necessário para cumprir o planejamento, as formas gerais de economia, os cortes indispensáveis, entre outras coisas.

3. Entenda as condições da renegociação de dívidas

Ao dar início à fase de negociação, procure analisar o desconto sobre a dívida total. Se o pagamento for feito em parcelas, mesmo que o valor mensal seja menor, não esqueça de considerar os juros. Faça as contas, pode haver o risco de sair mais caro a longo prazo. Por isso, tenha sempre em mente o valor total da sua dívida.

Se você achar que tem condições de pagar à vista, peça uma condição melhor. Feito o pagamento, solicite ao credor uma carta de quitação e verifique em quanto tempo sua situação estará regularizada junto a birôs de crédito.

4. Não aceite qualquer proposta

Aqui vai uma dica: não aceite qualquer proposta. Certamente, o agente financeiro apresentará uma oferta muito mais interessante para a instituição credora. Por isso, você deverá negociar até chegar em uma solução vantajosa para ambos.

Uma forma eficiente é considerar a capacidade que a sua empresa tem ou não de cumprir com a oferta da instituição. Caso não consiga, apresente as reais condições do seu negócio como uma contraproposta. Lembre-se de só fechar um novo negócio se a sua empresa conseguir cumprir com o acordo.

5. Seja cuidadoso para não fazer novas dívidas

Por fim, evite armadilhas. Mantenha a planilha financeira sempre atualizada e continue economizando até quitar o débito da sua empresa. 

Assim, como dissemos anteriormente, o processo de negociação exigirá atenção com os cálculos e juros. Portanto, considere levar os seus especialistas financeiros para te dar suporte e as orientações mais adequadas ao seu negócio.

Portanto, para conquistar uma renegociação de dívidas eficiente, você deverá dominar as finanças organizacionais. O procedimento é uma alternativa interessante de quitação, já que possibilita um pagamento mais tranquilo.

Vale ressaltar que para ter sucesso nessa negociação, você deverá estar preparado e atento às entrelinhas. 

Fonte:Xerpa

Source

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *