Criatividade, eis o desafio.

Spread the love

O grande desafio da humanidade é se tornar um ser criativo!

A criatividade é importante em todos os âmbitos da vida.

No mundo dos negócios essa característica é muito procurada nos profissionais, pois um profissional criativo, que pensa fora da caixa contribui grandemente com soluções, inovações e resultados positivos para as organizações.

Sendo assim, a grande pergunta é: como nos tornarmos pessoas criativas?

Eu sinceramente acredito que todos nós nascemos perfeitos em essência, portanto, a criatividade é uma característica que já possuímos, mas para que ela se manifeste precisamos despertá-la. É uma força adormecida dentro de nós, e é preciso acionar alguns gatilhos para que esta força se manifeste ao mundo em forma de contribuições positivas.

Eu gosto de dizer que para ser criativo é preciso ter coragem!

Coragem significa agir movido pelo coração, ou seja, é a ação vinda do coração e externada em atitudes concretas.

Coragem não é ausência de medo, e sim, agir apesar do medo, portanto, para sermos criativos precisamos deixar a coragem se manifestar, pois como poderemos ousar, criar algo, fazer diferente se o medo predominar a ponto de nos paralisar?

Coragem é uma força positiva, uma virtude que nos impulsiona, inclusive nas situações que nos desafiam.

Certamente, se você almeja o sucesso, essa é uma dupla (criatividade e coragem) importante a ser buscada e aprimorada.

Outro ponto importante a destacar é sobre a importância de estarmos preparados para os acertos e também para os erros, pois num processo criativo ousaremos fazer coisas diferentes, trilhar caminhos diferentes e mesmo que estas rotas tenham sido planejadas, e devem ser, o caminho ainda não foi percorrido, portanto, surpresas podem surgir e precisamos estar receptivos para todos os resultados, lembrando que todos os nossos esforços direcionados à um objetivo culminam num resultado, e apenas isto.

Fomos condicionados a rotular as coisas em “boas” e “ruins”, “positivas” e “negativas” e essa é uma das nossas maiores travas, travas que emperram e impedem a nossa alavancagem.

Devemos reprogramar o nosso mindset com uma programação positiva onde resultados sejam apenas resultados, sem rótulos, pois ninguém fará algo propositadamente para gerar prejuízos (emocionais, financeiros, etc.), a grande verdade é que muitos não ousam ser criativos por medo da possibilidade de errar, deixam de tentar, de fazer, de inovar, e então, permanecem na inércia ou na mesmice, na famosa zona de conforto onde o caminho já é bem familiar.

Precisamos entender que resultados inesperados, fora do previsto, comumente intitulados como “erros” são aprendizados e apenas isto.

Se aprendermos olhar nossas ações por essa óptica, certamente eliminaremos as frustrações e aceleraremos a nossa evolução, enxergando em tudo oportunidades de crescimento, de desenvolvimento.

Talvez o grande desafio das organizações e da alta liderança seja não apenas motivar a equipe a inovar, a ser criativo, mas também, em como receber e digerir os resultados obtidos quando estes não forem tão extraordinários assim, e quando possíveis “erros” forem cometidos.

Claro que organizações sérias e profissionais sérios não sairão agindo sem os devidos planejamentos e desvios que podem ser assumidos em novos projetos, pois o sucesso é medido também com o lucro financeiro, mas o que me refiro aqui é o quanto as organizações, líderes e colaboradores estão dispostos e preparados para aceitar os resultados indesejados que ideias e processos criativos podem trazer, e em como a equipe será dirigida frente à estas situações.

É por isso que acredito que é exatamente neste comportamento que está o maior desafio, em mudarmos a nossa mentalidade, em trazer também o coração para dentro do nosso trabalho e projetos, deixar não apenas a razão, mas o coração também nos guiar, e além disto, caminhar o caminho apreciando-o, sem focar exclusivamente nos futuros resultados, mas sim, desfrutar do passo-a-passo, de cada conquista, e não rotular resultados, apenas colhê-los e acolhê-los, sabendo que estes trazem aprendizados, e com todos os aprendizados evoluímos.

Todo ser humano é falível, embora, nenhum ser humano goste de errar.

Todo ser humano é criativo, embora, nem todos ainda exercitem a coragem para despertar o seu gigante adormecido.

Gratidão.

Fonte: administradores.com.br

Source

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *